Febre aftosa: mais de 190 mil doses foram doadas à Bolívia ano passado

O Fundo Emergencial de Saúde Animal de Mato Grosso (Fesa/MT) encerrou o exercício 2014 com mais de 190 mil doses, para o combate à febre aftosa, doadas para pecuaristas bolivianos. A ação é uma forma de manter a sanidade animal do rebanho bovino de Mato Grosso, estado que detém o maior plantel do país, com mais de 28 milhões de cabeças.

O Fundo Emergencial de Saúde Animal de Mato Grosso (Fesa/MT) encerrou o exercício 2014 com mais de 190 mil doses, para o combate à febre aftosa, doadas para pecuaristas bolivianos. A ação é uma forma de manter a sanidade animal do rebanho bovino de Mato Grosso, estado que detém o maior plantel do país, com mais de 28 milhões de cabeças.

Como explica o gerente executivo do Fesa/MT, Juliano Latorraca Ponce, em 2014 foram 70 mil doses doadas na etapa de maio e 120 mil em novembro. “Estas vacinas são doadas às entidades bolivianas para uso dos produtores bolivianos cujas propriedades ficam na fronteira com Mato Grosso para que garantam a proteção do rebanho e prevenção à doença”.

O Fundo, que conta com a parceria da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), encerrou o ano de 2014 tendo apoiado diversas ações e projetos para o controle e defesa sanitária animal no Estado, como no caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), registrada no mês de abril no município de Porto Esperidião, na fronteira com a Bolívia, além da já consolidada campanha de vacinação contra a Febre Aftosa. Além de concentrar o maior rebanho bovino brasileiro, Mato Grosso é destaque nacional na produção de aves, suínos e ovinos, “por isso tratamos a sanidade animal com muita atenção e responsabilidade”, pontua Ponce.

Criado em 2009, o Fesa/MT tem como objetivo subsidiar ações de emergência sanitária no que se refere às enfermidades que constam na lista oficial da Organização Internacional para a Saúde Animal (OIE). São ações de defesa e prevenção para os rebanhos de animais localizados no território mato-grossense para que não ofereçam riscos de natureza econômica ou de saúde pública. Além disso, o Fesa/MT se empenha no controle e erradicação destas enfermidades registradas no Estado, dentre outros.

Desde 2011, a entidade realiza a campanha de conscientização sobre a vacinação contra a febre aftosa nas duas etapas realizadas nos meses de maio e novembro. Além disso, apoia o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea/MT) em ações de defesa sanitária em relação a esta doença na fronteira com a Bolívia, como acompanhamento da vacinação em propriedades na região e doação de vacinas para entidades bolivianas, para que realizem a imunização do gado no país vizinho.

No ano passado, um caso atípico de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida popularmente como doença da “vaca louca”, registrado no mês de abril em uma propriedade rural no município de Porto Esperidião, na fronteira com a Bolívia, concentrou esforços da equipe sanitária animal do Estado. “Neste caso, o Fesa/MT apoiou o Indea na ação emergencial, além de indenizar o produtor pelos animais sacrificados em R$ 76 mil”, destaca Ponce.

Outro caso foi a Estomatite Vesicular, registrado no município de Castanheira. “Nesta situação o Fesa/MT também esteve junto com o Indea, apoiando o deslocamento das equipes para a região para o controle sanitário”, afirma o gerente.

Diário de Cuiabá
http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=464550

Voltar