Produção agropecuária de MT deverá passar de R$ 62,23 bi para R$ 59 bi

O Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária de Mato Grosso deve fechar o ano com retração de 4,91%, passando de R$ 62,23 bilhões em 2014 para cerca de R$ 59,17 bilhões em 2015. A estimativa, revisada mensalmente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), foi divulgada na última quinta-feira e reflete o comportamento do mercado e da produção no mês de abril, sempre da porteira para dentro, ou seja, avaliando a renda ao produtor. Desse total, R$ 43,26 bilhões serão originados com o faturamento das lavouras e R$ 15,90 bilhões virão da pecuária.

O Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária de Mato Grosso deve fechar o ano com retração de 4,91%, passando de R$ 62,23 bilhões em 2014 para cerca de R$ 59,17 bilhões em 2015. A estimativa, revisada mensalmente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), foi divulgada na última quinta-feira e reflete o comportamento do mercado e da produção no mês de abril, sempre da porteira para dentro, ou seja, avaliando a renda ao produtor. Desse total, R$ 43,26 bilhões serão originados com o faturamento das lavouras e R$ 15,90 bilhões virão da pecuária.

Na comparação com os dados de março, também há redução, já que no mês passado a previsão era de R$ 61,17 bilhões. Os ajustes se adequam às revisões sobre as estimativas das safras e das cotações de soja e do algodão produzidos no Estado. Somente na oleaginosa, houve ‘perda’ de R$ 1 bilhão na comparação entre os VBPs de março e abril.

Enquanto a renda gerada da porteira para dentro, calculada pelo VBP, encolhe quase 5%, a produção anual de grãos no Estado, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), tem previsão de atingir 47,43 milhões de toneladas, 1,5% menor que o volume da safra 2013/14 que somou 47,70 milhões.

Mesmo ocupando a liderança nacional da produção agrícola, Mato Grosso é apenas o segundo no ranking da renda, atrás de São Paulo que tem estimativa de R$ 63,32 bilhões para 2015. Ao dividir a renda agrícola da renda da pecuária, Mato Grosso supera a projeção para São Paulo: R$ 43,26 bilhões e R$ 40,71 bilhões, respectivamente.

Das quatro principais culturas do Estado, apenas uma, a cana-de-açúcar tem projeção de crescimento, 3,96%, ao passar de R$ 1,26 bilhão para R$ 1,31 bilhão. O restante, soja, algodão e milho, seguem com avaliações negativas na comparação anual. A pluma, se confirmada a estimativa de abril, retrai o VBP em 23,63%, ao passar de um faturamento de R$ 10,62 bilhões no ano passado para R$ 8,11 bilhões em 2015, a menor receita desde 2011.

Para a soja, a correção mensal tirou do VBP R$ 1 bilhão entre as projeções de março ante a de abril. No novo estudo, a cultura soma R$ 24,95 bilhões (em março a projeção foi de R$ 25,96 bilhões) contra R$ 25,94 bilhões consolidados em 2014. A colheita de soja está finalizada no Estado e conforme acompanhamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a oferta expandiu 6% e 75% da produção - 27,87 milhões de toneladas - estão comercializadas.

O milho, em pleno desenvolvimento nas lavouras do Estado, tem projeção de queda de 8,25% na receita na comparação com 2014. De acordo com o Mapa, o VBP passa de R$ 8,24 bilhões para R$ 7,56 bilhões.

PECUÁRIA – Se na agricultura o VBP estadual segue com projeção de queda, na comparação com 2014, na pecuária ocorre o inverso. A receita deve passar de R$ 14,62 bilhões para R$ 15,90 bilhões. Dos cinco segmentos da pecuária, três estão em ascensão: bovinos, suínos e ovos. Leite e aves têm perspectivas de redução.

Os bovinos deverão ampliar em 12,81% a geração de renda aos criadores, ao passar de R$ 10,46 bilhões (2014) para R$ 11,80 bilhões nesse ano.

Os frangos seguem trajetória de pequena retração, com o faturamento ao produtor caindo de R$ 2,09 bilhões para R$ 2,03 bilhões.

Os suínos devem ampliar em 1,79% a receita da porteira para dentro, atingindo R$ 708,52 milhões ante R$ 695,97 milhões do ano passado.

A produção de ovos tem perspectiva de moderada elevação, de R$ 656,69 milhões para R$ 664,69 milhões.

Já a produção de leite, ao contrário do ano passado, deve cair 3,78%: de R$ 713,49 milhões para R$ 686,34 milhões.

BRASIL - O VBP nacional deve ficar em R$ 456,4 bilhões. As lavouras apresentam redução real do valor de 2,4% e somam R$ 288,9 bilhões neste ano, enquanto a pecuária tem aumento de 3,5% e chega a R$ 167,5 bilhões.

Diário de Cuiabá
Autor: Marianna Peres
http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=471969&edicao=14203&anterior=1

Voltar