Liberação da exportação para os EUA pode beneficiar MT

A liberação da exportação de carne bovina in natura para os Estados Unidos abre o leque para que Mato Grosso diversifique o mercado de compradores. O Estado é o maior criador de gado do país, com 28,5 milhões de cabeças e tem condição de atender a demanda pelo produto. O anúncio da liberação de compra da carne pelos Estados Unidos foi feita nesta segunda-feira (29.06) pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Kátia Abreu.

A liberação da exportação de carne bovina in natura para os Estados Unidos abre o leque para que Mato Grosso diversifique o mercado de compradores. O Estado é o maior criador de gado do país, com 28,5 milhões de cabeças e tem condição de atender a demanda pelo produto. O anúncio da liberação de compra da carne pelos Estados Unidos foi feita nesta segunda-feira (29.06) pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Kátia Abreu.

De acordo com o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), José João Bernardes, a qualidade da carne mato-grossense deve ser compatível as exigências do mercado americano. Conforme ele, a disponibilidade de um novo comprador oferece maior tranquilidade para que as indústrias de Mato Grosso na negociação do rebanho. “Com isso, o produtor pode se beneficiar com os preços praticados”, pontua.

A medida favorece a 95% da agroindústria exportadora brasileira. O Mapa pontuou que há 15 anos, os EUA tinham restrição à carne bovina in natura do Brasil e o desfecho da negociação hoje é uma sinalização importante para a abertura de novos mercados. Os Estados Unidos são reconhecidos pela severa restrição ao ingresso de produtos no seu mercado doméstico.

Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat)
http://www.acrimat.org.br/

Voltar