Pecuaristas têm até o dia 10 para comunicar vacinação contra brucelose em MT

Os pecuaristas de Mato Grosso têm até o dia 10 de julho para comunicar a vacinação do rebanho bovino de fêmeas contra a brucelose. A campanha de vacinação do primeiro semestre terminou nesta terça-feira (30.06) e previa imunizar um rebanho estimado em 1,3 milhão de cabeças, considerando animais entre 3 a 8 meses.

Os pecuaristas de Mato Grosso têm até o dia 10 de julho para comunicar a vacinação do rebanho bovino de fêmeas contra a brucelose. A campanha de vacinação do primeiro semestre terminou nesta terça-feira (30.06) e previa imunizar um rebanho estimado em 1,3 milhão de cabeças, considerando animais entre 3 a 8 meses.

Na última etapa de vacinação o índice de vacinação atingiu 95,45% do rebanho. Conforme o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), 80% das propriedades rurais do Estado cumpriram com a obrigação de imunizar o rebanho.

O médico veterinário e gerente de Relações Institucionais da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Nilton Mesquita, alerta para a necessidade de manter os animais livres da doença. Conforme ele é interessante para o Estado a erradicação da doença tem como objetivo agregar valor a comercialização da carne mato-grossense. Ele explica que a brucelose é uma doença que interfere na fertilidade do rebanho e pode ser transmitida para o homem.

A comunicação da vacinação do rebanho deve ser feita junto ao Indea. Os pecuaristas que não registrarem a imunização dos animais terão que pagar 2,25 UPF-MT (Unidade Padrão Fiscal em Mato Grosso) por animal não vacinado, aproximadamente R$ 243 por cabeça. Além disso, o produtor perde o direito de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), necessária para a comercialização do rebanho

Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat)
http://www.acrimat.org.br/

Voltar