Exportação de ovos aos árabes cresce 41%

As exportações brasileiras de ovos aos países árabes renderam US$ 6,9 milhões no primeiro semestre, um aumento de 41,4% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) compilados segundo os critérios da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). A entidade leva em consideração ovos in natura e processados para consumo.

As exportações brasileiras de ovos aos países árabes renderam US$ 6,9 milhões no primeiro semestre, um aumento de 41,4% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) compilados segundo os critérios da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). A entidade leva em consideração ovos in natura e processados para consumo.

O vice-presidente de Aves da ABPA, Ricardo Santin, destaca que o Oriente Médio é a principal região de destino do produto brasileiro. As exportações para lá representaram 71,4% do total de US$ 9,24 milhões em ovos embarcados pelo Brasil no primeiro semestre. As vendas externas brasileiras em geral avançaram 29% sobre os primeiros seis meses de 2014.

Os Emirados Árabes Unidos foram os responsáveis pelo desempenho, com importações de US$ 6,2 milhões, um crescimento de 44% na mesma comparação. O país é o maior mercado dos ovos brasileiros no exterior.

Os Emirados passaram a ocupar o lugar que no passado foi de Angola e de Hong Kong. Segundo Santin, Angola impôs barreiras às importações e os negócios caíram drasticamente. “Fomos obrigados a buscar uma alternativa, e o Oriente Médio se mostrou uma ótima alternativa, que agora se consolidou”, afirmou.

Se forem considerados os números compilados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que incluem também ovos para incubação, o valor das exportações aos árabes no primeiro semestre sobe para US$ 15,5 milhões, um acréscimo de 24% em relação ao mesmo período do ano passado. Nesse cenário, Arábia Saudita e Bahrein são também mercados relevantes, mas os Emirados seguem como principal destino.

Na avaliação de Santin, há espaço para crescer mais. Do lado da oferta, ele conta que o Brasil exporta apenas 1% dos ovos que produz e, nesse sentido, é possível aumentar a produção e as vendas externas.

Do lado da demanda, o executivo observa que a população islâmica, majoritária nos países árabes, é uma das que mais cresce no mundo, e o mercado de consumo segue na mesma direção.

Na esteira do frango

Para conquistar os árabes, as empresas brasileiras aproveitaram a fama que o frango brasileiro já tinha na região. O Oriente Médio é o principal destino da carne de aves do Brasil, e companhias do País são líderes do mercado. “Se o frango brasileiro é bom, o ovo tem a mesma qualidade”, disse Santin.

Na esteira da marca Brazilian Chicken, a ABPA introduziu a marca Brazilian Egg em suas ações de promoção comercial, entre elas a participação na Gulfood, feira da indústria alimentícia que ocorre anualmente em Dubai, nos Emirados.

ANBA - Agência de Notícias Brasil - Árabe
Autor: Alexandre Rocha
http://www.anba.com.br/noticia/21868391/agronegocio/exportacao-de-ovos-aos-arabes-cresce-41/

Voltar