Rússia aumenta compras e exportações brasileiras ultrapassam 60 mil ton

A elevação das importações russas de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) do Brasil foi determinante para o saldo alcançado pelos exportadores de carne suína em julho, avalia a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

A elevação das importações russas de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) do Brasil foi determinante para o saldo alcançado pelos exportadores de carne suína em julho, avalia a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Ao todo, foram exportadas para a Rússia 34,5 mil toneladas de carne suína no sétimo mês deste ano, desempenho 51,1% superior ao registrado em junho e 143,2% maior em relação a julho de 2014. Em receita, os embarques para o mercado russo atingiram no mês US$ 108,3 milhões, um incremento de 49,9% em relação ao mês anterior e de 59,6% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Com isto, as exportações totais (todos os produtos e destinos) registraram, em julho, crescimento de 50,2% em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 61,5 mil toneladas. Em receita, houve crescimento de 13,3%, com o total de US$ 157,9 milhões.

Com o saldo histórico de julho (o maior dos últimos 5 anos), o setor reverteu as perdas acumuladas no ano e agora registra elevação de 20% nos volumes embarcados entre janeiro e julho de 2015 na comparação com o mesmo período do ano passado, com um total de 290,7 mil toneladas exportadas. Em receita, a elevação foi de 0,5%, com US$ 711,1 milhões.

“O forte desempenho do setor em julho aponta para um semestre com bom ritmo, com expectativa de saldo positivo para 2015. Com isto, fortalecemos o setor no mercado externo e equilibramos a oferta interna de produtos”, destaca o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra.

Do total dos embarques realizados entre janeiro e julho, 45,9% - ou 131,2 mil toneladas – tiveram como destino a Rússia. Com 21,7% do total, Hong Kong, no segundo posto, importou 62,1 mil toneladas. Na terceira posição, com 7,2% do saldo geral, Angola foi destino de 20,6 mil toneladas. Em quarto lugar, Singapura, com participação de 5,6%, importou 16,1 mil toneladas. Para o Uruguai, quinto maior importador, foram exportadas 11,6 mil toneladas – ou 4,1% de todas as exportações brasileiras de carne suína nos sete primeiros meses de 2015.

“A Rússia segue como carro chefe das exportações brasileiras de carne suína e tem aumentado seus embarques neste ano, o que vem compensando a retração notada em alguns mercados, como Hong Kong e Singapura”, destaca o vice-presidente de suínos, Rui Eduardo Saldanha Vargas.

Agrolink com informações de assessoria
http://agrolink.com.br/saudeanimal/noticia/russia-aumenta-compras-e-exportacoes-brasileiras-ultrapassam-60-mil-ton_222008.html

Voltar