Goiás: impacto positivo da alta do dólar no mercado suíno é debatido na Faeg

Em tempos de crise, maneirar na hora de comprar produtos alimentícios tem sido uma boa saída para não se afundar ainda mais em dívidas. A carne suína, neste cenário tem se destacado e mostrado para que veio: com um gosto saboroso e um valor nutricional que muitos desconhecem, sua produção será um dos temas analisados na 6 ª edição do programa Sistema Faeg/Senar Interage.


Em tempos de crise, maneirar na hora de comprar produtos alimentícios tem sido uma boa saída para não se afundar ainda mais em dívidas. A carne suína, neste cenário tem se destacado e mostrado para que veio: com um gosto saboroso e um valor nutricional que muitos desconhecem, sua produção será um dos temas analisados na 6 ª edição do programa Sistema Faeg/Senar Interage.

Durante a inciativa, além das análises de mercado do milho, soja, boi gordo e aves, a suinocultura ganha destaque. A alta do dólar que foi negativa para grande parte da produção, impactou positivamente a atividade. De acordo com a consultora técnica do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), Samantha Andrade, em relação ao mercado interno a carne suína é uma boa pedida. “Se tratando de mercado interno ela está mais rentável que a carne bovina. O que precisamos é informar a população sobre o valor nutricional da carne” explica a consultora.

Valor nutricional
Ainda sobre o preconceito enfrentado pela carne, a nutricionista Anny Almeida enfatiza com orgulho os aspectos positivos da carne. “O preconceito realmente ainda existe, principalmente fora do estado de Goiás, onde a carne é consumida com menor frequência. É interessante ressaltar que a carne suína é versátil e muito saudável, já que se destaca em níveis de vitamina B, cálcio, fósforo, zinco, ferro e potássio”, pontua Anny.

“Puro Chiquê”
Outro aspecto positivo da carne é seu incremento em pratos gourmet. O mito de que o consumo é específico da zona rural, tem caído por terra. Restaurantes, bares e até mesmo chefs de cozinha têm incorporado a carne à diversas variedades de receitas, o que prova o sabor inconfundível do alimento.

Sobre a realidade, Samantha Andrade explica a importância de entender o mercado como um todo. “O produtor deve entender que ele é sempre algo mais, ele é um empresário. Então é de suma importância que ele entenda todos os processos que envolvem sua produção. Se tratando da suinocultura tecnificada por exemplo, o produtor deve ter uma visão geral de maquinário, técnicas de produção. Ou seja, deve sempre estar de olho”, enfatiza a consultora.

Para Andrade, ver o espaço que a suinocultura tem conquistado no mercado é digno de orgulho. “Eu fico orgulhosa ao saber que uma cultura tão bacana e agregadora está sendo debatida no Interage. Ações como essa são importantes não somente para informar, mas também para apresentar quantas coisas bacanas nosso setor pode oferecer”, diz Samantha.

6ª Edição do Interage
O programa Interage busca, ir além de repassar de informações e analisar o que acontece no mercado agropecuário, permitir a interação entre aqueles que fazem acontecer, ou seja, todos envolvidos no elo da cadeia produtiva. A 6ª edição da inciativa também irá discutir os gargalos sobre a criação de parque ambientais. Quem acompanhar, em tempo real, o novo canal de contato entre Federação, Senar Goiás e produtores rurais, estudantes, profissionais da área e toda a sociedade, poderá participar via chat. As perguntas poderão ainda ser enviadas antecipadamente.

FAEG - Federação da Agricultura do Estado de Goiás
Autor: Laryssa Carvalho
http://sistemafaeg.com.br/noticias/13202-impacto-positivo-da-alta-do-dolar-no-mercado-suino-e-debatido-na-faeg

Voltar