Dólar contido: “Fitch não rebaixou o Brasil”

O economista Alexandre Cabral, da NeoValue Investimentos, tem uma visão otimista sobre a posição anunciada pela Fitch Ratings em relação ao Brasil. Nesta quinta-feira (15.10), a empresa a agência de classificação de risco rebaixou a nota do País de “BBB” para “BBB-”, mas ainda dentro do grau de investimento.

O economista Alexandre Cabral, da NeoValue Investimentos, tem uma visão otimista sobre a posição anunciada pela Fitch Ratings em relação ao Brasil. Nesta quinta-feira (15.10), a empresa a agência de classificação de risco rebaixou a nota do País de “BBB” para “BBB-”, mas ainda dentro do grau de investimento.

“A Fitch não rebaixou o Brasil. Rebaixou a nota, mas continuamos sendo grau de investimento. Essa notícia é excelente para acalmar os ânimos. E como aclamou: o Real fechou valorizado. Resumindo a notícia: 'vocês estão bem ruins, mas ruins mesmo, mas ainda conseguem respirar sozinhos, então vou tirar vocês do quarto e colocar na semi-intensiva, mas cuidado: se não tomar os remédios direitinho vai parar na UTI”, analisa o especialista.

“Remédios direitinhos = reforma econômica séria. Esse foco, por enquanto, está controlado. Eu falo (tem algum tempo) que o Brasil tem três focos de câncer, que dependendo podem matar o paciente. Um foco hoje praticamente se extinguiu no curto prazo. Temos os outros dois: FED (Banco Central Americano), que não deve subir os juros esse ano. A agonia é quando vai subir, isso faz com que parte do mundo fique em compasso de espera, o que atrapalha vários negócios”, prossegue.

“Terceiro Foco, a política. Essa só Deus sabe o que vai acontecer. Dilma tentando parceira com Cunha? Esquece. Porque? Dilma não pode dar para ele a garantia que os escândalos vão cessar, por isso considero um acordo impossível. Se a ideia de delatar Cunha saiu de dentro do PT fizeram uma tremenda besteira... Política que vai mandar no dólar nas próximas semanas”, conclui Cabral.

Agrolink
Autor: Leonardo Gottems
http://agrolink.com.br/saudeanimal/noticia/dolar-contido---fitch-nao-rebaixou-o-brasil-_224208.html

Voltar