Gado ganha peso depois de recuperação de pastagem

Uma parceria entre Embrapa Agropecuária Oeste, Embrapa Gado de Corte e Cooperativa Agrícola Sul Matogrossense (Copasul) montou uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) em 31 hectares da cooperativa em Naviraí, que comprovou a engorda do gado, depois da recuperação da pastagem. E nesta quarta-feira (9) o Dia de campo "Sistemas integrados de produção agropecuária (Integração Lavoura-Pecuária e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta)".acontece na Fazenda Copasul II, rodovia BR-163, km 143 e mostrará o resultado a produtores rurais, profissionais da assistência técnica e extensão rural e demais interessados no assunto. A entrada é gratuita.

Uma parceria entre Embrapa Agropecuária Oeste, Embrapa Gado de Corte e Cooperativa Agrícola Sul Matogrossense (Copasul) montou uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) em 31 hectares da cooperativa em Naviraí, que comprovou a engorda do gado, depois da recuperação da pastagem. E nesta quarta-feira (9) o Dia de campo "Sistemas integrados de produção agropecuária (Integração Lavoura-Pecuária e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta)".acontece na Fazenda Copasul II, rodovia BR-163, km 143 e mostrará o resultado a produtores rurais, profissionais da assistência técnica e extensão rural e demais interessados no assunto. A entrada é gratuita.

Serão mostrados, em quatro estações, os sistemas Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), apresentando como opções viáveis e uma das alternativas para desenvolver a agropecuária na região sul do Estado - principalmente nas áreas de solos arenosos, que são pobres em nutrientes.

A Unidade faz parte do Projeto Integração Lavoura-pecuária/Rede de Fomento em ILPF. O objetivo é utilizar áreas com pastagens degradadas da região de Naviraí e diversificar a produção, com a lavoura integrada com a pecuária.

O primeiro passo para adotar a ILP e a ILPF foi recuperar os pastos na URT. A recuperação começou em 2014, com utilização de corretivos e incorporação ao solo e com o cultivo, em diferentes áreas de soja, milho, milho consorciado com Brachiaria ruziziensis, mandioca, eucalipto e com a pastagem BRS Piatã, que serão avaliadas ao longo das safras.

Com relação ao gado Nelore, foram realizadas até 17 de setembro de 2015 três avaliações, que são realizadas a cada 60 dias. O saldo foi positivo nas áreas que foram recuperadas. Já no início, o ganho de peso do gado em pasto recuperado foi maior do que a do pasto não recuperado (chamado de "testemunha"): 0,208 kg/dia/cabeça/hectare e de 0,199 kg/dia/cabeça/hectare, respectivamente.

Na última avaliação, em 17 de setembro, houve uma diferença significativa: ganho de 0,536 kg/ha/dia/cabeça/hectare no pasto recuperado e perda de -0,03 kg/ha/dia/cabeça/hectare.

Data de Publicação: 14/12/2015 às 08:15hs
Fonte: Correio do Estado
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/gado-ganha-peso-depois-de-recuperacao-de-pastagem-138483

Voltar