Embarque semanal de carne de frango registra pequena melhora

Embora ainda caminhando lentamente, o volume de carne de frango exportado na segunda semana de janeiro apresentou pequena melhora em relação ao que foi registrado no início do ano.



Embora ainda caminhando lentamente, o volume de carne de frango exportado na segunda semana de janeiro apresentou pequena melhora em relação ao que foi registrado no início do ano.

No período (10 a 16, cinco dias úteis), o volume embarcado chegou à média diária de 15.377 toneladas, resultado 15,81% superior ao da primeira semana (com, também, cinco dias úteis), quando os embarques ficaram resumidos às 13.278 toneladas/dia.

Agora, decorridos os 10 primeiros dias úteis de janeiro – ou seja, a metade dos 20 dias úteis do mês – o volume médio embarcado chega às 143.276 toneladas, ou seja, quase 14.328 toneladas/dia.

Esse volume, por sua vez, projeta para a totalidade do mês embarques da ordem de 286,5 mil toneladas de produto in natura, um volume 20% menor que o registrado em dezembro, mas quase 16% superior ao janeiro de 2015, mês em que o volume exportado não chegou às 248 mil toneladas.

A receita cambial, claro, segue inferior tanto em relação ao mês anterior (recuo superior a 25%) quanto em relação ao mesmo mês do ano passado (tendência de queda da ordem de 7%). Mas o fato negativo que mais ressalta diz respeito ao preço obtido. Na média dos 10 primeiros dias de janeiro ficou em US$1.357/tonelada, o menor valor em quase sete anos.

Em tempo: mais preocupante que o baixo preço da carne de frango é o caminhar das exportações de milho. Em 10 dias foram exportadas mais de 2,1 milhões de toneladas do produto, volume que, no mês, pode chegar aos 4,3 milhões de toneladas, um terço a mais do registrado um ano atrás.

Esse índice de incremento aplicado às exportações totais de 2015 (perto de 31 milhões de toneladas) significa embarque anual superior aos 40 milhões de toneladas em 2016. Ou mais de 50 milhões/t se mantida no restante do exercício a média registrada nos primeiros dias do ano.

Em outras palavras, pode sair para o mercado externo volume quase equivalente à produção da safrinha - 54,6 milhões de toneladas na previsão mais recente da CONAB.

Avisite
http://www.avisite.com.br/noticias/index.php?codnoticia=16566

Voltar