Aumento anual de 4,4% e novo recorde na produção de pintos de corte em 2016

De acordo com os números finais da APINCO, em 2015 foram produzidos no Brasil pouco mais de 6,5 bilhões de pintos de corte, volume que representou aumento de 4,4% sobre a produção de 2014 e que só agora supera o recorde mantido desde 2011, ano em que foram produzidos 6,245 bilhões de pintos de corte (nos três anos subsequentes o volume produzido ficou em 6,007, 6,147 e 6,232 bilhões de cabeças).



De acordo com os números finais da APINCO, em 2015 foram produzidos no Brasil pouco mais de 6,5 bilhões de pintos de corte, volume que representou aumento de 4,4% sobre a produção de 2014 e que só agora supera o recorde mantido desde 2011, ano em que foram produzidos 6,245 bilhões de pintos de corte (nos três anos subsequentes o volume produzido ficou em 6,007, 6,147 e 6,232 bilhões de cabeças).

Como é normal (são raras as exceções), a maior parte da produção de 2015 – 51,2% do total – concentrou-se no segundo semestre, fato explicado não só pelo maior número de dias do período (184, contra 181 dias do primeiro semestre), mas também por um aumento de 3,3% na produção média diária, reflexo da maior demanda de carne de frango no semestre. Ainda assim, o incremento observado em relação ao ano anterior (+4,09%) foi inferior ao do primeiro semestre.

É interessante observar que esses números colocam uma luz sobre o comportamento do mercado do frango (vivo e abatido) em janeiro de 2016. Ou seja: após forte redução em novembro (pela média diária, o menor volume do ano), em dezembro a produção brasileira de pintos de corte voltou a crescer significativamente (também pela média diária, incremento de 11,32% sobre o mês anterior).

Nada demais para um mês normal. Só que os pintos produzidos em dezembro entram no mercado, como frangos, quando a população está em férias, entre janeiro e fevereiro do ano seguinte. Explica-se, pois, o fraco desempenho do frango na segunda quinzena de janeiro e nestes primeiros dias de fevereiro.

Avisite
http://www.avisite.com.br/noticias/index.php?codnoticia=16616

Voltar