Recuperação de preços do frango vivo não compensa aumento de custo

O levantamento mensal da Embrapa Suínos e Aves relativo a cinco estados – Goiás, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – mostra que nos últimos 12 meses, a despeito de os preços recebidos pelo frango vivo nesses estados terem evoluído em índices que variam entre 15% e [perto de] 27%, seus custos tiveram evolução maior, mantendo negativos os possíveis ganhos do setor.

O levantamento mensal da Embrapa Suínos e Aves relativo a cinco estados – Goiás, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – mostra que nos últimos 12 meses, a despeito de os preços recebidos pelo frango vivo nesses estados terem evoluído em índices que variam entre 15% e [perto de] 27%, seus custos tiveram evolução maior, mantendo negativos os possíveis ganhos do setor.

Entre as cinco Unidades Federativas analisadas, o custo com menor evolução, embora elevado (+24,10%), foi registrado no Rio Grande do Sul, único estado em que a evolução de preço (+26,94%) foi superior ao aumento de custo. Isto, porém, não teve qualquer significado para o produtor gaúcho que, um ano atrás, já operava com prejuízo.

De toda forma, os maiores prejuízos, em junho passado, foram registrados nos dois estados vizinhos, Paraná (11,5%) e Santa Catarina (10,99%). As perdas gaúchas ficaram em 3,24%, enquanto a dos mineiros foi de 2,03%. Goiás também teve prejuízo elevado: 9,94%.
Data de Publicação: 27/07/2016 às 10:25hs
Fonte: Avisite
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/recuperacao-de-precos-do-frango-vivo-nao-compensa-aumento-de-custo-147640

Voltar