Carne de frango: quem aumentou e quem reduziu a produção no 1º semestre de 2016

Relativos ao segundo trimestre de 2016, os últimos dados divulgados pelo IBGE possibilitam avaliar quais foram as Unidades Federativas brasileiras (UFs) que aumentaram ou reduziram a produção de carne de frango nos seis primeiros meses de 2016

Tais dados, ressalve-se, referem-se aos abates realizados em estabelecimentos sob inspeção federal, estadual ou municipal e, portanto, não incluem a totalidade das aves processadas no período. No entanto estão muito próximos da realidade apontada pelo próprio setor avícola, pois, por exemplo, a produção de carne de frango relatada (6,698 milhões de toneladas) corresponde a 97% do potencial de produção estimado pela APINCO para o período (6,890 milhões de toneladas).

Mas, voltando a quem expandiu ou reduziu sua produção no primeiro semestre de 2016, os números do IBGE mostram incremento global de 4,29% no volume de carne de frango produzida, índice que corresponde a um adicional de quase 276 mil toneladas em relação a idêntico período do ano passado.

Porém, o incremento não foi generalizado. Pois, à primeira vista, seis das 26 Unidades Federativas acompanhadas pelo IBGE (não há, da parte do órgão, referência ao Amapá) reduziram sua produção. O que significa que o aumento efetivo foi além das 276 mil toneladas. Chegou, na verdade, às 288.840 toneladas.

Considerados os volumes a mais ou a menos, quem liderou a expansão foi o estado do Paraná, cujo adicional registrado pelo IBGE – 128.189 toneladas – correspondeu a um aumento de 6,56% sobre idêntico período de 2015 e representou quase 45% do volume extra produzido pelo setor no semestre.

Data de Publicação: 27/09/2016 às 14:30hs
Fonte: Avisite
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/carne-de-frango-quem-aumentou-e-quem-reduziu-a-producao-no-1-semestre-de-2016-150213

Voltar