Carne de frango: disponibilidade aparente indica queda no consumo per capita

O volume apontado – pouco mais de 1,073 milhão de toneladas – correspondeu a reduções de 4,76% e 5,88% sobre, respectivamente, o mês anterior e o mesmo mês do ano passado

As projeções da APINCO baseadas na produção de pintos de corte sugerem que em setembro passado o potencial brasileiro de produção de carne de frango apresentou o menor valor nominal em quase 20 meses. O volume apontado – pouco mais de 1,073 milhão de toneladas – correspondeu a reduções de 4,76% e 5,88% sobre, respectivamente, o mês anterior e o mesmo mês do ano passado.

E como, em setembro, as exportações do produto voltaram a apresentar resultado positivo - 5,41% de acréscimo em relação a setembro/15 e o melhor resultado do terceiro trimestre – isto se refletiu na oferta aparente do produto no mercado interno, que apresentou forte regressão (-11,11%) e, pela segunda vez nos últimos 12 meses, ficou abaixo das 700 mil toneladas.

À primeira vista, a possível redução de oferta não se refletiu na comercialização do produto, pois o frango vivo (base: mercados paulista e mineiro) percorreu setembro com a mesma estabilidade de preços iniciada em agosto.

No entanto, isso não ocorreu com o frango abatido que, pelo contrário, experimentou valorização em relação a agosto, ao mesmo tempo em que obtinha, nominalmente, os melhores preços do ano e de todos os tempos. Aliás, comparativamente a julho passado, enquanto a oferta interna recuou 15%, o preço do frango abatido (base: produto resfriado no Grande Atacado da cidade de São Paulo) experimentou incremento de 16%.

Uma vez que no bimestre agosto/setembro o volume produzido caiu significativamente em relação ao mesmo período de 2015, os nove primeiros meses do ano foram fechados com um incremento de produção inferior a 2%. E uma vez que nesse período as exportações aumentaram mais de 6%, o resultado final, para o mercado interno, é um volume ligeiramente menor (-0,02%) que o disponibilizado entre janeiro e setembro do ano passado.

Já no acumulado dos últimos 12 meses prevalece ligeira expansão, inferior a meio por cento. Embora esse resultado seja positivo, em termos reais (isto é, considerado o crescimento vegetativo da população) torna-se negativo, configurando redução no consumo per capita do produto.

Data de Publicação: 21/10/2016 às 12:00hs
Fonte: Avisite
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/carne-de-frango-disponibilidade-aparente-indica-queda-no-consumo-per-capita-151347

Voltar