Leite: preço de referência ao produtor cai pelo terceiro mês seguido

A fraca demanda está pressionando os valores pagos ao produtor em novembro pelo terceiro mês seguido. Além disso, a incessante importação de leite em pó do Uruguai está contribuindo para tumultuar o mercado doméstico e derrubar os preços do produto no mercado interno.

Retratando esse cenário de preços em baixa, o Conselho Paritário Produtor/Indústria de Leite do Estado de Santa Catarina (Conseleite) anunciou nesta semana uma redução de 2,26% nos valores de referência para este mês de novembro, o que significa diminuição de 2 centavos/litro sobre os preços do mês anterior.

O Conseleite reuniu-se em Joaçaba nesta semana e projetou assim os valores para este mês: leite acima do padrão R$ 1,1759 o litro; leite padrão R$ 1,0225 e leite abaixo R$ 0,9295.

No mercado, entretanto, essa redução não deve ocorrer porque, em outubro, os laticínios já reduziram os valores bem acima do que indicaram estudos e análises do Conseleite – e causaram forte desestímulo na base produtiva. Essa é a avaliação do presidente do Conseleite e também vice-presidente regional da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (FAESC), Adelar Maximiliano Zimmer.

“O preço praticado no mercado não vai cair e, se cair, será dentro do diagnóstico do Conseleite, que é de menos 2 centavos por litro, o que não chega a causar grande prejuízo”, assinala. A tendência é, a partir de agora, ocorrer um relativo equilíbrio do mercado.

Zimmer comemorou a publicação da Instrução Normativa (IN) nº 40 do Ministério da Agricultura, que proíbe a reconstituição do leite em pó importado pelas indústrias localizadas na área de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) afetada pela seca. Segundo o texto, apenas o leite em pó nacional pode ser usado para produzir leite UHT e pasteurizado. O produto vinha sendo internalizado há meses, basicamente para abastecer o Nordeste, que a partir da publicação terá de utilizar somente matéria-prima nacional.

PRODUÇÃO

Santa Catarina é o quinto produtor nacional, o Estado gera 2,8 bilhões de litros/ano. Praticamente todos os estabelecimentos agropecuários produzem leite, o que gera renda mensal às famílias rurais e contribui para o controle do êxodo rural. O oeste catarinense responde por 73,8% da produção. Os 80.000 produtores de leite (dos quais, 60.000 são produtores comerciais) geram 7,4 milhões de litros/dia.

Data de Publicação: 22/11/2016 às 10:10hs
Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/leite-preco-de-referencia-ao-produtor-cai-pelo-terceiro-mes-seguido-152423

Voltar