Rebanho bovino mato-grossense cresce e pode desvalorizar cotações

Na última semana, o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) divulgou as informações referentes à vacinação do rebanho mato-grossense realizada em novembro/16.

Segundo o relatório, foram vacinados, ao todo, 99,62% das 30,21 milhões de cabeças.

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) destaca, além do alto nível de imunização, os números alcançados pelos pecuaristas mato-grossenses. Conforme o instituto, este é o maior rebanho bovino da história do Estado, com crescimento de 3,32% em comparação com 2015. Os economistas explicam o resultado com o processo de retenção de fêmeas, que vem acontecendo no Estado há mais de três anos.

De acordo com o IMea, o número de vacas registrou acréscimo de 1,57 milhão desde 2013. A título de comparação, o número de machos cresceu apenas 233,12 mil no mesmo período. “Dito isto, ainda que tal resultado soe positivo para a cadeia, o pecuarista deve se atentar para um possível excesso na oferta de bovinos, que pode resultar em desvalorizações nas cotações”, alerta o instituto.

Data de Publicação: 26/01/2017 às 14:40hs
Fonte: Só Notícias/Agronotícias

Voltar