Desempenho do frango, boi e suíno vivos no 1º quadrimestre

Ao encerrar-se o primeiro quadrimestre de 2017, apenas o suíno completa o período apresentando evolução positiva de preço em relação aos mesmos quatro meses do ano passado

Ao encerrar-se o primeiro quadrimestre de 2017, apenas o suíno completa o período apresentando evolução positiva de preço em relação aos mesmos quatro meses do ano passado. Ou seja: o frango vivo e o boi em pé estão, até aqui, com redução de 3,91% e 5,96%, respectivamente.

Não estão sozinhos, é verdade, pois as duas principais matérias-primas da avicultura e da suinocultura também registram preço médio inferior ao do quadrimestre inicial de 2016, com reduções de 25,39% e 15,40%, respectivamente. Mas no caso do milho, especificamente, o recuo é justificável, visto que um ano atrás, mesmo período, o grão registrava aumento de 63% em relação aos quatro meses iniciais de 2015.

Porém, numa análise de mais longo prazo (por exemplo, retroativa a 2014, três anos atrás), conclui-se que os cinco produtos analisados perderam para a inflação acumulada no período. Neste caso, os resultados mais fracos recaem sobre o frango vivo (frente a uma inflação de 23%, valorização de pouco mais de 8%) e, especialmente, sobre o farelo de soja, que fecha o quadrimestre com o menor valor dos últimos quatro anos.

Data de Publicação: 28/04/2017 às 10:45hs
Fonte: Avisite

Voltar